domingo, 1 de março de 2009

Show da Madonna em São Paulo, 21/12/2008



Fugindo um pouco do tema “Cinema”, e falando um pouco da minha outra paixão incondicional, “Madonna”, aproveito a divulgação das fotos oficiais do último show da turnê de 2008, ocorrido em São Paulo no dia 21 de dezembro, pra deixar registrado um pouco do que eu senti naquele dia.

Passei algumas horas na fila de entrada da pista VIP, sendo que quase 2h debaixo de chuva torrencial, com o tênis empoçado, a calça molhada do joelho pra baixo e passando frio, mas nada disso importou muito, porque sabia que ia vê-la de perto.

Às 17h em ponto os portões foram abertos, e, com o coração na mão, entrei no estádio do Morumbi preocupado se conseguiria um bom lugar. Me posicionei do lado esquerdo do palco e, empurra um pouquinho aqui e ali, estava eu com apenas duas baixinhas me separando da grade.

Pronto pra esperar mais 4h em pé, sem poder me mexer pra não perder o lugar perfeito que conquistei a tanto custo, eis que, apenas alguns minutos depois, surge uma loira qualquer no fundo do palco, o que provoca uma histeria generalizada.

Imaginei que fosse alguma assistente de palco, uma profissional da limpeza, qualquer membro do staff. Eu simplesmente não conseguia acreditar que pudesse ser ela àquela hora, tão cedo. Mas era. Básica, sem maquiagem, cabelo lavado, vestindo um moletom qualquer, puxando a calça pra não cair.

Madonna é de carne e osso! Pulando corda, tirando sarro dos colegas de trabalho e, o mais arrepiante, conversando com a gente, cantando e olhando nos meus olhos! Momentos que nem nos meus sonhos imaginei um dia vivenciar! E eu estava lá, muito próximo dela, e vivi aquele dia com uma intensidade difícil de comparar com qualquer outro momento da minha vida.

Sem toda aquela parafernália de telões, luzes e cenários. Sem os passos milimetricamente ensaiados. Sem aquele monte de bailarinos que costumam rodeá-la. Era Madonna pura, sem máscaras, sem Photoshop, viva. E pude ter certeza que ela é um ser humano como outro qualquer. Tive a prova viva de que eu amo uma pessoa, uma mulher, e não simplesmente um produto ou uma máquina de vender discos.

Ali tive a certeza de que tudo valeu a pena: a chuva que peguei, as horas na fila, os vários dias correndo atrás de um ingresso VIP, e muito mais que isso, os 15 anos seguindo a maior cantora do universo.

E hoje comçaram a circular umas fotos na net. Não se sabe ainda se essas fotos vão ser publicadas num livro oficial, nos extras do DVD que deve sair em março, ou em qualquer outro lugar. Só se sabe que foram tiradas pelo staff da Madonna, e mais importante, que eu apareci em uma ... duas ... três fotos! Achar minha cabecinha nessas fotos foi como ouvi-la dizer: “Você faz parte da minha vida”.

P.S.: Pelas fotos dá impressão que eu fiquei bem longe do palco, mas, na verdade, e eu estava quase colado na grade. Acho que elas foram editadas. Não sei porque. Em cada uma parece que eu estava num lugar diferente da platéia. Talvez seja o ângulo em que foram tiradas. Mas parece até que foram três shows diferentes.

Um comentário:

Raquel disse...

Poxa! Legal eles editarem e permanecer com as fotos! BoniTão hem??? KKKKKKK! Beijos!